Equipamento atual      As guitarras da minha vida      Algumas dicas sobre guitarras      Algumas dicas sobre 'Amps"

     

Equipamento atual

 

  Guitarras:

- Guitarra Stratocaster Fender  modelo American Fat Deluxe Teal Green, ano 1998 (USA).

- Guitarra Stratocaster Fender Custom Shop modelo Time machine 60' NOS daphne blue, ano 2000 (USA).

- Guitarra Stratocaster Custom Guitar Garage "Mary Kaye" White Blonde, ano 2005 (BRA)

- Guitarra Stratocaster Custom Márcio Zaganin fiesta red, ano 2005 (BRA)

- Guitarra PRS McCarty Sunburst McCarty, ano 2005 (USA)

- Guitarra Ibanez RG 540 S Custom Made Ruby Red, ano 1991 (USA).

 

Amplificadores:

- Amplificador Fender "Super Reverb" Black Face, ano 1967 (USA).

- Amplificador Fender "Princeton Amp" Black Face, ano 1963 (USA).

- Caixa "Serrano Custom Amps" 4x10, ano 2002 (RS-Brasil).

- 2 Amplificadores  Laney modelo LC-15R, um de 1996 e um de 2000 (Inglaterra).

- Amplificador Peavey modelo Basic 50 (USA).

- Amplificador Fender "Mini Tone Master" (USA).

- Caixa "E.T. Custom" 2x12 (DF-Brasil).

 

Periféricos:

- Pedal Ibanez TS-9 Tube Screamer

- 2 Pedais Dunlop Wah-Wah modelo JH-1 Jimi Hendrix

- Pedal Dunlop Univibe

- Pedal Boss Stereo Chorus

- Pedal Boss Auto-Wha

- Pedal Boss Compressor Sustainer

- Rockman Distorcion Generator

- A/B box Morley

- Afinador Eletrônico Boss CT-6

- Cabos Santo Ângelo Studio Pro

- Cordas Giannini GEEGST 11 (.011-.049)

- Pedal Board SKB modelo PS-25

- Palhetas Dunlop 1.0 a 1.5 mm

 

 

"Esmeralda"

 

 

  Na verdade, eu tenho ainda outros "brinquedinhos", mas estes são os que uso basicamente hoje em dia, mudando a configuração de acordo com o local da apresentação e as possibilidades de transporte do equipamento. Mas o mínimo que eu não abro mão são minhas duas gatas (minha loira de olhos verdes e minha morena de olhos azuis - minhas stratos), um LC15R e um segundo amp (que pode ser um dos meus outros, dependendo do tamanho do lugar e da necessidade, ou mesmo um amp que a casa disponibilize). Descobri que o melhor jeito pra conseguir o som que gosto é combinar dois amps, um pequeno (que dá o timbre ao som) e um grande (que dá o corpo ao som). O som assim fica mais rico. Uso uma caixa A/B para combinar os dois amps. Às vezes uso um chorus stéreo da boss para isso (ou para ligar três ao mesmo tempo). O melhor a fazer é nunca depender do som do lugar. Microfonar o amp, só se não der mesmo pra tocar só com eles. Os caras da mesa acabam com o seu som. É melhor tocar "no talo" e segurar a onda só com eles.

Pedais, dependendo do show eu nem uso nenhum. Quanto menor a cadeia do sinal (o percurso da guitarra ao amp), melhor o som da guitarra, menos se perde em qualidade e menos se ganha em ruídos, chiados e interferências. Não há nada melhor do que o som de uma Strato ligada direto em um Fender valvulado. Só com os controles da guitarra, do amp, e a sua forma de tocar, você já consegue uma gama infinita de sons e possibilidades.

Outra coisa importante é a proteção à seus equipamentos. A rede elétrica da maioria dos lugares que tocamos é péssima, e eu já perdi muitos equipamentos por isso, fora os terríveis choques e a chiadeira geral devido à falta de aterramento e à oscilação de corrente. Por isso levo sempre um estabilizador Furman PL-Plus. Se queimar alguma coisa, queima ele primeiro. E ele melhora a oscilação da corrente e o sinal.

Não uso adaptadores de alimentação nos pedais. Além da interferência que eles causam ao som, devido à oscilação da corrente, eles são ótimos encrenqueiros, parando de funcionar na hora que bem entendem, do nada, e voltando depois como se nada tivesse acontecido. São amissíssimos do "Malcon". As baterias são mais caras, mas são mais seguras (e  tem um lance legal nelas, quando elas vão ficando fracas, produzem timbres inesperados e diferentes. Eu gosto disso).