Equipamento atual      As guitarras da minha vida      Algumas dicas sobre guitarras      Algumas dicas sobre 'Amps"

     

Algumas dicas sobre "Amps"

 Normalmente os guitarristas acabam deixando de lado esses amiguinhos "quadrados", pesados e sem graça. O primeiro impulso quando se tem um dinheirinho é comprar outra guitarra, ou trocar um captador, e por aí vai...  Acaba que normalmente vamos adiando a compra de um amplificador decente enquanto podemos. Os bons são tão caros quanto as melhores guitarras. Às vezes até mais! Mas o fato é que eles são tão importantes quanto a guitarra no som final. Não adianta nada você ter a melhor guitarra do mundo e plugar num amplificador "chinfrim". Vai matar a tua guitarra. Temos que entender um mínimo sobre amplificadores para fechar com chave de ouro a cadeia do sinal da guitarra. No blues, na opinião da maioria dos que entendem, os valvulados reinam soberanos. E quanto mais antigo, melhor! Mais "vintage" o som, mais BLUES! Na minha opinião, quanto mais o amplificador deixa sair o som natural da guitarra, quanto mais ele valoriza as nuances e características de cada uma delas, melhor ele é.

 
 

  Fender "SUPER REVERB" 1967 (Black Face)

O Amp do Blues!

Steve Ray Vaughan usava dois desses junto com dois Vibroverbs em seu "set" preferido.

 Ele tem 40 watts em quatro falantes CTS originais de alnico. Dois canais, sendo um com controle de volume, grave e agudo, e o outro com volume, grave, médio, agudo, reverb e vibrato. Os amps com reverb possuem mais ganho, devido à compensação feita no circuito para devolver a energia que é consumida pelo reverb. Assim, ele é menos "limpo" que os amps dessa época sem reverb, como o "Band Master" e o "Princeton". Ele satura um pouco mais.

Vários guitarristas excepcionais o utilizaram e o utilizam até hoje. Ele e o "Vibroverb" são os amps mais procurados dessa época.

Esse meu é de 67, e é todo original.

 

 

 

  Fender "BAND MASTER" 1967 (Black Face)

 

Esse é um cabeçote da "Era Black Face", famosa pelos seus circuitos, seu timbre limpo e cristalino e sua potência "animal". Sua construção é "point-to-point", sem o uso de placas de circuito impresso. Cada peça é soldada diretamente na outra, manualmente, num trabalho artesanal. Os Black Face só foram produzidos até 1967, ano que a Fender foi vendida pra CBS. Daí em diante vieram os "Silver Face", que já não eram a mesma coisa...

Atualmente a Fender lançou umas "reedições" de alguns  Black Faces famosos. Mas de "Black Face"  eles só tem mesmo a cara preta, pois no resto são completamente diferentes, com outros esquemas e,  salvo raras exceções, com circuitos impressos. Por isso os antigos são tão procurados e caros.

Ele usa 4 válvulas no pré-amp (três 12AX7 e uma 12AT7) e duas válvulas 6L6 GC no estágio de saída. Tem 40 Watts de potência REAL (é ensurdecedor!). Tem dois canais independentes. Um com controle de volume, graves, agudos e chave "bright". O outro tem ainda um vibrato com controle de intensidade e velocidade. O meu foi completamente restaurado em Sampa  pelo Roberto Lasco, outro "cobra" dos amps valvulados antigos. E foi envenenado para saturar um pouco antes do tempo. A distorção do estágio de potência de um amp desses é fenomenal! (é bonita e elegante, como se ouve nas melhores gravações de antigamente)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  Fender "PRINCETON AMP" 1963 (Black Face)

 

Esse é um Fender "Princeton Amp". Também da era "Black Face", de 1963. Esse meu é todo original, exceto pelo falante, que foi trocado por um "Celestion Vintage 10", muito melhor do que o original (um Oxford).

Ele tem um falante de 10', 15 watts, trêmolo, grave, agudo e volume. Não se engane pela sua simplicidade. O bicho é um monstro! Todo valvulado e circuito "point-to-point". O lance é tocar "no talo" e curtir o puro Timbre Blues. É excelente para gravações e para tocar em lugares pequenos e médios. Em breve colocarei mp3 dos sons desses amps...

 

 

  Serrano Amps (Custom Made)

 

A Serrano Amps é uma empresa de Porto Alegre (RS). São Amplificadores excepcionais construídos pelo "mago dos amps" André Serrano. O cara saca muito!

Essa aí em cima  é uma caixa 4x10, com 4 falantes de 10' Jensen Special Design C10Q de 35w cada (total de 140w). Ela é toda construída de mogno maciço. Esses falantes eram usados nos Fender da era de ouro. Essa caixa tem um puta som! Além de ser linda!

 

 Em breve, mais dicas!